Aqui você encontra informações úteis que ajudam a melhorar o seu desempenho no dia a dia por meio de conteúdos simplificados, com respostas, sugestões e aplicações práticas para sua atividade se tornar mais produtiva.
Mais conteúdo e menos dúvidas para você.

Operando com o Auto Tracker

Com a tela "Executar 2" montada con­forme figura 1, e com a colhedora lo­calizada em um local onde o Cortador de Base não toque o chão quando a suspensão estiver totalmente abaixada, ligue a colhe­dora e inicie o procedimento a seguir.

 

Passo 1

Verifique o sensor de posição

1.1. Coloque a suspensão da máquina to­talmente para cima e verifique se o indicador de altura do corte de base está indi­cando 400.

1.2. Coloque a suspensão da máquina totalmente para baixo e verifique se o indicador de altura do corte de base está indicando 0.

Atenção: caso os valores 0 e 400 não forem encontrados ou estiverem com variação de + ou - de 20, acione o responsável pela ma­nutenção e informe que o sensor de posição não está devidamente calibrado;

 

Passo 2

Verifique o sensor de pressão (Auto Tracker)

2.1. Regule a altura de trabalho para 100 e a altura de manobra para 300.

2.2. Regule a pressão de vazio para 25 Bar e a pressão de trabalho para 50 Bar.

2.3. Ligue o industrial e coloque o motor na rotação intermediária até que o óleo hidráulico atinja pelo menos 55° C.

2.4. Coloque o motor na rotação de traba­lho (2100 RPM) e acione a tecla M na alavanca multifuncional (esta tecla liga o Auto Tracker).

2.5. Nesta etapa a máquina deverá buscar a altura do corte de base de 100.

2.6. Coloque agora o motor na rotação intermediária.

2.7. Nesta etapa a máquina deverá buscar a altura do corte de base de 300. Atenção: caso a máquina não encontre as alturas 100 ou 300, acione o responsável pela manutenção e informe que o sensor de pressão não está devidamente calibrado.

 

Trabalhando com o Auto Tracker

Após a confirmação de que o Auto Tra­cker está com o seu funcionamento normal (passos 1 e 2), defina o seguinte, como especificado a seguir.

 

Altura de trabalho

esta é a altura em que o corte de base estará sempre bus­cando (como referência inicie com o valor de 40).

 

Pressão de trabalho

esta é a pres­são de referência para o corte de base, ou seja, toda vez que esta pressão for atingida, a máquina subirá (como referência inicie com o valor de 60 Bar). A tabela 1 apre­senta uma base de referência entre as uni­dades Bar e PSI.

 

Observação: caso verifique que seja necessário alterar a pressão de trabalho ou a altura de trabalho, faça estes ajustes ma­nualmente diretamente no monitor. Ex.: se você verificar que o "toco" está muito alto ou que a máquina está subindo com muita frequência, você pode reduzir a altura de trabalho ou aumentar a pressão de traba­lho diretamente no monitor.

 

A partir deste ponto, basta alterar a rotação de trabalho no final das linhas de cana, e a colhedora irá se levantar, você fará a manobra, e antes de iniciar a colheita da nova linha de cana, altere novamente a rotação do motor para 2100 rpm, pressione a tecla M e a máquina buscará a altura de trabalho.

 

Verifique os sensores de posição e de pressão todos os dias.

 

Altura de trabalho

Altura do corte de base

Pressão de trabalho

Pressão do corte de base

Altura de manobra

Altura de manobra

Pressão de vazio

Temperatura do óleo hidráulico

Pressão de embuchamento

 

 

Figura 1 –  Tela Executar 2

Indicadores do Auto Tracker

 

 

PSI

Ba

14,5

0

800

55

900

62

1000

69

1100

76

1200

83

 

Tabela 1 – Conversão de unidade de pressão

 

 

 

 

A economia de combustível fazendo-se manobras a 1500 RPM com os implemen­tos desligados pode chegar a até 75% em relação a manobras feitas a 2100 RPM com os implementos ligados. Realizar as manobras em três etapas (pre­servação do material rodante).

 

Acionamento do industrial

Fazer o acionamento preferencialmente em rotação intermediária ou baixa.

 

Faquinhas do despontador / triturador / disco de corte lateral

Repor sempre que houver quebras ou desgaste.

 

Facas do cortador de base

Fazer a troca ou rodízio sempre que o raio de ataque estiver superior a 5 cm.

 

Facões do picador

Fazer a inspeção diária e trocar sempre que houver desgaste ou desuniformidade de corte. Verificar diariamente o sincronismo en­tre os facões.






Website desenvolvido por Rodmidia